Torcida do Fortaleza protesta contra desorganização na entrada e saída do estádio

Robson Queiroz

Comunicador e Gerente Financeiro em Jornal dos Municípios
Bacharel em Sistema de Informação; Comunicador; Produtor de Eventos; Já trabalhou em programa de notícias na Rádio Clube de Fortaleza (antiga Ceará Rádio Clube); Em 2013 recebeu a Comenda Jornalista Dutra de Oliveira pelos relevantes serviços prestados a comunicação no Ceará - concedido pela ACEJI (Associação Cearense de Jornalistas do Interior); Coordenador da PASCOM Araturi (Pastoral da Comunicação);Desenvolvedor de sites, sistemas e aplicativos; Programador visual gráfico (designer).
Robson Queiroz

Mesmo com 27 mil sócios e com uma grande procura por ingressos antecipados, a Diretoria do Fortaleza vem sendo omissa quanto a problemas que vem acontecendo na entrada e saída do estádio durante os últimos jogos. Na entrada do estádio há uma revista, porém com apenas 03 fileiras para entrada masculina e 01 fileira para entrada feminina, embora tenham policiais de sobra para realizar revistar os torcedores. Com isso um grande tumulto vem sendo causado, desrespeitando toda a torcida e principalmente os mais fragilizados, como crianças, gestantes, idosos e pessoas com deficiência.

Como se não bastassem os empurrões, outro problema são os cavalos que ficam no meio dos torcedores, defecando e dando coices. Após passar pela primeira barreira, vem mais outro problema no acesso ao portão, onde um novo transtorno é gerado, policiais arrogantes tratando torcedores como delinquentes, mandando encostar em parede ou grade, atrasando a entrada do torcedor, mesmo com mais de 10 min de início da partida.

Em manifestação nas redes sociais a torcida generalizadamente exige respeito e dignidade, questionando qual o sentido de fazer campanhas para aumentar o sócio ou de ingressos a preço popular, como foi no último jogo do dia 16/05, contra o Athletico PR pela Copa do Brasil e não oferecer o mínimo de organização para receber a torcida.

A Equipe Mosaico, responsável pela organização das belas festas na arquibancada, iniciou o protesto e ainda destacou que torcedor é consumidor e não animal. A equipe que vinha preparando uma grande festa para o corredor de fogo e mosaico, afirmou que está suspensa a ação, até que a diretoria do Fortaleza tome as providências necessárias e que verá como fará com os valores que já haviam sido doado pelos torcedores.

Outras manifestações também ameaçam um boicote da torcida em não participar dos jogos, caso nada seja feito, o que teria um impacto muito negativo para o Fortaleza que atualmente está no TOP 5 em média de público.

Nas redes sociais do Fortaleza a torcida também está manifestando sua indignação através dos comentários.

Redação Jornal dos Municípios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.