Municípios atingidos pela seca têm festa carnavalesca de até R$ 256 mil

0
42

Governo suspendeu verbas para 96 municípios, mas a maior parte dos eventos está mantida

As verbas do convênio entre a Casa Civil do governo do Estado e prefeituras para o Carnaval do Interior foram suspensas devido aos custos e gastos com a seca. No entanto, a estiagem que castiga o Interior do Ceará não intimidou os municípios com relação à realização das tradicionais festas. Os altos valores se contrapõem à situação calamitosa das cidades, a maioria em estado de emergência, decretado no fim de 2012, algumas com problemas no abastecimento de água.

Em novembro de 2012, 174 municípios cearenses entraram em estado de emergência por causa da forte estiagem Foto: Waleska Santiago

A Prefeitura de Choró (180 Km da Capital), por exemplo, vai gastar R$ 104,03 mil com a festa de Carnaval deste ano. O município está entre os 174 que entraram em estado de emergência, por 90 dias, desde novembro de 2012.

A licitação do evento “Folia nas Águas” mostra que a Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Juventude contratou uma empresa de Quixadá para realizar a festa e somente o camarote do evento custará R$ 9 mil aos cofres públicos.

Quase R$ 50 mil serão gastos na contratação de grupos musicais que realizarão show artístico com duração mínima de três horas. A locação do palco foi registrada no valor de R$ 19,9 mil e, somente na diária dos banheiros químicos para os quatro dias de festa, serão desembolsados R$ 6 mil. O gerador, acompanhado de uma equipe técnica, foi alugado por R$ 7,9 mil, entre os dias 9 e 12. No total, são 12 itens que somam mais de R$ 100 mil na licitação assinada no último dia 29 de janeiro.

Já o município de Quixadá (a 167 Km da Capital) vai gastar R$ 256,8 mil no Carnaval de 2013. A licitação cobre os serviços de infraestrutura e contratação de grupos musicais e é de responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo. Somente o cachê das bandas de forró e axé custará R$ 141 mil aos cofres públicos.

O município de Crateús (a 360 Km da Capital), que está prestes a sofrer um colapso de água, possui uma licitação aberta, do tipo menor preço, no valor de R$243,5 mil também referente ao Carnaval. As atrações musicais devem custar R$ 117,1 mil e a estrutura com palco, som e iluminação, R$ 125,8 mil.

O Ministério Público vai realizar, amanhã, uma audiência pública para discutir a questão do abastecimento de água em Crateús. O açude que abastece a cidade está com apenas 9,5% da capacidade, o que aumenta a chance de falta d´água.

Apoio

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) divulgou um edital no valor de R$ 974 mil para o Carnaval do Ceará 2013. Os recursos são do Fundo Estadual de Cultura, que apoia financeiramente a execução de projetos de arte e cultura nas manifestações carnavalescas cearenses.

Choró está entre os 20 municípios contemplados pela seleção, que teve mais de 100 cidades inscritas. A Secult vai investir R$ 20 mil no evento, mas a Prefeitura de Choró vai arcar com cerca de R$ 80 mil.

O secretário de Turismo e Cultura de Choró, Júlio César, explicou que o Carnaval vai gerar cerca de 300 empregos diretos e 40 mil visitantes durante os quatro dias. “Essas pessoas deixam dinheiro nos comércios e boa parte desse recurso é arrecadado nos impostos e volta como melhorias para o povo”, explica.

Questionado se o abastecimento de água seria suficiente para os 40 mil visitantes, o secretario afirmou que as pessoas não ficam hospedadas no município, apenas “passam”.

Para a Prefeitura de Choró, o abastecimento de água é suficiente para os seus 13 mil habitantes. O município também utiliza uma retroescavadeira para cavar cacimbas e há projetos do governo, como o Garantia Safra, de suporte aos agricultores. Sobre a qualidade da água, a Prefeitura garantiu que a água passou por testes e foi aprovada.

A Prefeitura de Crateús diz conhecer os problemas da seca. Mesmo assim, promete um dos melhores carnavais da região. A administração justifica que a festa é uma forma de amenizar a tristeza. “Como já havíamos programado, não vamos cancelar”, enfatiza Sílvio Verta, coordenador do “Carna-folia”.

A assessoria da Prefeitura de Quixadá disse que, por ser uma cidade universitária e com um imenso potencial turístico, o município não poderia deixar de realizar o evento. A assessoria acrescentou que todos os gastos são financiados com recursos próprios e com o apoio de parceiros.

Convênios

Segundo o governador Cid Gomes, os convênios entre a Casa Civil e as prefeituras foram suspensos devido aos gastos com a seca. A medida atingiu 96 municípios que receberiam entre R$ 30 mil e R$ 531 mil.

Em Aracati, a Prefeitura garante que vai realizar a festa mesmo sem apoio. “Algum planejamento pode ser cortado, mas a festa está mantida”, esclareceu Magela Júnior, secretário de Cultura de Aracati. Em 2012, o Estado destinou R$ 2,6 milhões para as prefeituras para o Carnaval. Com informações do Diário do Nordeste Online

Repasse

12,6 milhões de reais foi o valor solicitado ao governo do Estado pelas 96 prefeituras que seriam beneficiadas pelo convênio com a Casa Civil

Do Diário do Nordeste

Zeudir Queiroz

Zeudir Queiroz

Aceji - Associação Cearense de Jornalistas do Interior em Diretor
Comunicador há mais de 30 anos, comanda o Jornal dos Municípios, que veio de um programa da Rádio Clube de Fortaleza (antiga Ceará Rádio Clube) para as páginas de internet.Atualmente exerce o cargo de diretor da Associação Cearense de Jornalistas do Interior (ACEJI), sendo também ex-presidente da instituição.
Zeudir Queiroz

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.